No começo de 2003, o ator Renato Turnes procurou o diretor Jefferson Bittencourt com a ideia de criarem juntos um espetáculo solo. A intenção era investigar a linguagem do Fantástico e do Horror propondo ao público uma experiência sensível misteriosa e poética. O resultado dessa experiência foi a adaptação para o teatro do célebre conto de Edgar Allan Poe: O Coração Delator.

 

O que os artistas não esperavam é que a mistura explosiva entre a poesia de Poe, referências góticas e teatro contemporâneo, inevitavelmente envoltos numa certa aura underground, produzisse um espetáculo de sucesso.

 

A história do criminoso atormentado que detalha o frio assassinato de um ancião adquiriu fama no dito “circuito alternativo”, conquistando um público fiel que se entrega à fantasia teatral ritualística e sinistra, de forte pegada emocional.  

 

O projeto inicial transformou-se então na Trilogia Lugosi, nome que é uma pequena homenagem a Bela Lugosi, o ator que cristalizou a imagem do Conde Drácula no imaginário popular a partir dos filmes de monstros do estúdio Universal nos anos 40.

 

Em 2005 os artistas estrearam o segundo espetáculo da série. Outsider, uma adaptação do conto de H.P. Lovecraft é um espetáculo que propõe a continuidade da pesquisa sobre o universo das histórias de terror, mas com abordagens diferentes em relação à encenação e à construção do personagem. Desta vez Renato Turnes é o monstro solitário, doce e melancólico que revela ao público sua triste e assustadora natureza, numa história de pesadelo assinada por outro mestre absoluto do gênero.

 

 

As duas estreias foram emolduradas pelas paredes seculares da Casa do Teatro Armação, na Praça XV de Florianópolis, que albergou carinhosamente as criaturas da Trilogia Lugosi durante esse período.  

 

Em 2009 o projeto recebeu o Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz que viabilizou a montagem do terceiro episódio e a inédita apresentação completa da Trilogia Lugosi.  

 

O Fantástico Homem Que Imita a Si Mesmo, a partir do texto inédito do dramaturgo paulista Fernando Bonassi, aproxima a Trilogia Lugosi da dramaturgia brasileira contemporânea, explora novas referências e procedimentos cênicos e estreiou em Florianópolis em outubro de 2010. O projeto completa o ciclo de pesquisa e criação cênica proposto, revela o trajeto criativo dos artistas e oferece ao público um repertório de espetáculos que é um conjunto singular de experiências em teatro.

 cialavaca@gmail.com|  +55 48 991382322

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube